10 agosto 2016
10 agosto 2016,
 0

Você tem percebido que seu cabelo anda caindo em uma quantidade fora do normal? Na maioria dos casos, a química em excesso é a principal causa do problema, mas ele pode ser também uma consequência de que algo não anda bem no organismo. Algumas doenças podem provocar queda dos fios, por isso é importante prestar atenção nos sintomas para que o diagnóstico seja feito com antecedência. Saiba quais transtornos podem causar queda de cabelo e como eles podem ser tratados:

Lúpus 

Doença autoimune, a lúpus afeta a própria imunidade da pessoa ataca o organismo. Ela pode acometer só a pele, mas também pode afetar outros órgãos do corpo humano. A doença pode afetar o couro cabeludo de duas formas: a primeira e mais simples delas é chamada de lúpus cutâneo. Normalmente, a queda de cabelo ocorre em um local pequeno e específico da cabeça e faz com que a pessoa perceba e procure ajuda rapidamente. A segunda forma é o lúpus sistêmico, que é menos facilmente perceptível. É uma doença que acomete o corpo inteiro, por isso é mais grave do que uma simples queda de cabelo — não chega a formar falhas tão visíves, mas pode gerar uma queda difusa, menos intensa.

Tratamentos:

Para o lúpus que acomete unicamente o couro cabeludo, o tratamento pode ser à base de aplicação local de cortisona — injetada ou em creme. No caso do lúpus sistêmico, a queda de cabelo só vai parar se a doença em si for tratada, o que normalmente ocorre com medicamentos mais pesados, ingeridos via oral.

Alteração na tireoide  

A relação entre alterações na tireoide e a queda de cabelo ainda não é totalmente conhecida, mas os sintomas são reais. Segundo a especialista, o hipertireoidismo, que é quando a tireoide trabalha mais do que o esperado pelo organismo, há uma queda de cabelo intensa. Quando o caso é de hipotireoidismo, não é exatamente a queda que pode ocorrer, mas sim o enfraquecimento dos fios.

Tratamento 

O estímulo com vitaminas até pode ajudar, mas não vai combater o problema, uma vez que está totalmente vinculado à doença de base. Por isso, o tratamento ideal é o controle da alteração na tireoide, normalmente indicado por um endocrinologista.

Anemia 

A anemia ocorre quando há deficiência de ferro no organismo, fazendo com que a pessoa sinta fraqueza, enfraquecimento de unhas e dos fios. É muito comum que os cabelos caiam quando uma pessoa desenvolve a anemia, podendo gerar até falhas no couro cabeludo.

Tratamento

Como a queda está diretamente relacionada à doença de base, é ela que deve ser tratada. Nutrólogos normalmente indicam vitaminas e suplementos que possam aumentar os índices de ferro no sangue e, desta forma, a queda de cabelo vai cessar.

Depressão  

A tristeza da depressão em si não causa a queda de cabelo, mas as consequências dela: se a pessoa para de se alimentar, é natural que o cabelo comece a cair. Em relação aos antidepressivos, Aline afirma que eles normalmente não causam o enfraquecimento dos fios, contudo, remédios como os anticonvulsionantes (que estão sendo usados para combater enxaquecas, por exemplo) têm a queda de cabelo como efeito colateral.

Tratamento

Se a queda for por causa da recusa da alimentação, as psicoterapias são essenciais para que a pessoa possa voltar a comer e os fios voltem a ficar saudáveis. No caso dos anticonvulsionantes, se a pessoa fizer uso deles, deve avisar ao psiquiatra ou ao psicólogo que tem sofrido com a queda de cabelo, para que o medicamento possa ser substituído.

Estresse ou traumas  

Traumas, sustos ou estresse excessivo pode sim causar a queda dos fios. No entanto, diferentemente o do que a maior parte das pessoas pensam, esse trauma não vai fazer os fios caírem imediatamente, mas, sim, três meses após o susto ou estresse excessivo. Isso porque o cabelo demora três meses para começar a cair, e outros três para parar. 

Quando uma paciente me procura para dizer que seu cabelo está caindo, e ela não tem nenhuma doença ou problema no couro cabeludo, sempre recomendo que ela pense no que aconteceu em sua vida há três meses. Normalmente, descobrimos o motivo quando a pessoa faz essa retrospectiva.

Tratamento

Nesses casos, é só esperar outros três meses para que a queda pare de ocorrer. Se os estresses forem contínuos, é recomendável que a pessoa procure atividades que possam dar prazer e liberar endorfina, como atividades físicas, atuando na diminuição do estresse.

Inflamação do couro cabeludo 

Existem várias possibilidades de inflamação do couro cabeludo — e todas elas podem resultar na queda dos fios. Só que nesses casos, os fios que já estão para cair são estimulados a se soltarem do couro cabeludo. A especialista listou as principais formas de inflamação: ceborreia muito intensa e queimaduras por causa do sol expulsam os cabelos que estavam prontos para cair.

Tratamento 

Nos casos da ceborreia, shampoos anti-caspa ou tratamentos recomendados por um dermatologista podem combater o problema. A queimadura solar não tem uma solução, mas é recomendável que a pessoa tome banho com água fria e use chapéus para evitar que a situação fique pior.

Calvície  

A calvície é uma doença genética que atinge mais homens do que mulheres — eles podem vir a perder todo o cabelo, enquanto as mulheres podem ter algumas falhas.

Tratamento 

Para tratar a calvície nas mulheres, é preciso bloquear o hormônio masculino, com medicamentos via oral indicados por um endocrinologista.

Alopecia areata

Também chamada de “pelada”, a doença pode até mesmo deixar a pessoa sem pelo algum no corpo. É uma doença autoimune, mas diferentemente do lúpus, só atinge o cabelo.  

Tratamento

Se a doença se manifestar em sua forma mais inofensiva, deixando uma ou duas rodinhas no couro cabeludo, recomenda-se a injeção local de cortisona. Nos casos mais graves, a especialista recomenda tratamentos sistêmicos à base de altas doses de cortisona e de outros imunossupressores. A doença não tem cura, mas há um novo tratamento que tem tido 50% de eficácia nos casos graves da pelada: os dermatologistas induzem uma irritação no couro cabeludo para “distraírem” a imunidade da pessoa, fazendo com que ela deixe de atacar as raízes. Diferente, não? Mas metade dos casos de Alopecia aerata foram resolvidos com ele.

Sífilis  

Desde 2013, há uma epidemia de sífilis no Brasil, e assim como o lúpus, ela pode ter uma forma de doença sistêmica que faz o cabelo cair difusamente

Tratamento

Os tratamentos para a doença são à base de antibiótico, normalmente. Tratamentos locais não funcionam, é necessário combater a doença base, por isso o diagnóstico de sífilis é essencial para que ela seja tratada e os cabelos parem de cair.

Fonte: R7

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Marque sua consulta através do Whatsapp