1 agosto 2016
1 agosto 2016,
 0

As próteses de silicone se tornaram as queridinhas das mulheres insatisfeitas com os próprios seios. A cirurgia, considerada relativamente simples e com pouquíssimo risco de complicações, pode ser um estímulo à autoestima, desde que cuidados específicos sejam tomados para que não haja nenhum problema pós-cirúrgico.

O principal problema que pode ocorrer após a operação é a contratura capsular, que acontece quando uma cicatriz espessa se forma ao redor da prótese. Essa complicação pode causar deformidade, endurecimento do seio e, em casos mais graves, dores intensas. Foi o que motivou a internação às pressas da cantora Valesca Popozuda no fim do mês de junho — a funkeira passou por uma cirurgia após sentir dores fortíssimas em um dos seios. O caso de Valesca faz parte dos 5% que acabam tendo esse tipo de complicação.

Há 20 anos, mais de 80% dos pacientes que passavam pelo procedimento cirúrgico de prótese mamária tinham algum problema de rejeição após a operação. Isso ocorria principalmente pela qualidade das próteses, que antigamente eram de poliestireno — material com maiores chances de ser rejeitado pelo organismo.

Porém, hoje em dia, esse índice não passa dos 5%, uma vez que as próteses texturizadas chegaram para ficar no mercado da cirurgia plástica. Esse material é indicado porque se adapta bem ao seio da mulher, havendo menor risco de contratura muscular. Contudo, há alguns cuidados que as próprias pacientes podem ter para evitar esse tipo de rejeição da prótese de silicone mamária.

Antes da cirurgia 

O primeiro passo que uma mulher que deseja colocar prótese mamária deve tomar é entrar no site da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e procurar o nome do cirurgião com quem ela pretende operar. Se ele for credenciado e tiver autorização para fazer a cirurgia, seu nome vai constar no site. Se ele não estiver lá, é melhor procurar um outro especialista.

Hoje, 50% dos casos de complicações mamárias ocorrem com cirurgiões não-credenciados. Essas pessoas podem até ser médicas, mas não são especializados em cirurgia plástica, por isso, a paciente precisa tomar esse cuidado para evitar algum problema pós-operatório.

valeMulheres que fumam ou tomam anticoncepcionais precisam deixar isso claro ao cirurgião, uma vez que esses hábitos aumentam as chances de complicações na prótese.

Normalmente é  recomendado que a mulher pare de tomar a pílula por um tempo significativo antes e depois da cirurgia. Em relação ao cigarro, também pedimos que ela o deixe de lado. Além de trombose, esses hábitos podem resultar em problemas de circulação sanguínea e cicatrização, aumentando as chances de a cicatriz abrir. A rejeição da prótese também pode ser um dos problemas.

Mulheres com doenças como poliomielites, artrites ou reumatismo também devem deixar isso claro antes da operação. Por isso, os médicos pedem que a paciente passe por um check up geral por meio de uma batalhada de exames. A especialista conta que, para que a cirurgia plástica possa ser realizada, a doença precisa estar controlada, assim como no caso das doenças sanguíneas.

Pacientes com hemofilia, doença que aumenta a facilidade de ter um sangramento, podem ter problemas na recuperação, fazendo com que uma cirurgia de pouquíssimo risco possa vir a ser fatal. Isso não significa que um paciente com alguma dessas doenças não possa colocar próteses de silicone, mas o procedimento deve ser feito com acompanhamento de um hematologista, para que a recuperação seja segura.

Cuidados pós-operatórios

Anestesia passou, próteses colocadas, paciente de alta hospitalar. E agora? Vai ser a vez de a paciente cuidar de si mesmo. Qualquer esforço acima do recomendado pode causar problemas com a prótese, fazendo com que a pessoa precise até mesmo passar por uma nova cirurgia.

Ao chegar em casa, a paciente não vai poder levantar o braço, lavar o cabelo, nem mesmo levantar da cama sem ajuda de alguém. Se tiver criança pequena em casa, não vai poder segurá-la no colo, e o mesmo é recomendado em relação a animais de estimação. O modelador é indispensável — e não pode ser retirado nem por um segundo sequer pelos primeiros sete dias. Depois, apenas para o banho, e assim vai até que a paciente possa finalmente abandoná-lo. Atividades físicas só são permitidas após um mês de cirurgia, assim como pegar transporte público e dirigir. Esses cuidados são essenciais para que não ocorra nenhuma complicação pós-cirúrgica e para que a paciente possa curtir sua nova vida sem preocupação.

Como os riscos de problemas são mínimos, as cirurgias plásticas são recomendadas para levantar a autoestima da mulher. Em 100% dos casos bem-sucedidos de implantes mamários, as pacientes saíram plenamente satisfeitas.

Tomando os devidos cuidados e respeitando o tempo de adaptação, as chances de sucesso e satisfação plena da paciente são muito concretas.

Fonte: R7

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Marque sua consulta através do Whatsapp